Usar o outsourcing para reduzir custos
03 março 2010

O outsourcing é um palavrão para muitos empregados no mundo desenvolvido dos Estados Unidos e da Europa. Muitas vezes significa que o emprego vai ser reencaminhado para centros de baixo custo de todo o mundo.


Para um empresário, significa oportunidade. Analisemos o caso de um empresário que vende detectores de radar. Pode-se comprar estes aparelhos numa empresa chinesa por 10% do que se pagaria numa empresa doméstica. Sabe-se que podem ser vendidos pelo mesmo preço na internet. Por que se haveria de pensar duas vezes para comprar o produto chinês? Com certeza duas vezes não, mas uma pelo menos sim.
O outsourcing é uma grande ferramenta para um empresário e pode fazer-se outsourcing de quase tudo. Pode fazer o outsourcing de contabilidade para alguém na Índia e pagar uma fracção do que se pagaria a nível doméstico. O seu apoio ao cliente podia ser feito nas Filipinas por, mais uma vez, uma fracção do que pagaria a nível nacional. O seu inventário pode vir todo da China. Mas então qual é a desvantagem?

A desvantagem é mínima, mas teria de ser bem abordada. Muitas vezes, quando se faz o outsourcing de qualquer coisa, está-se a correr o risco de que a qualidade do serviço não seja tão boa como se fosse feito a nível interno. Ouve-se falar de muitas histórias de queixas de clientes que não conseguiram perceber o agente do centro de apoio. Mas se se tomar medidas de controlo adequadas isso não será um problema.

Muitas pessoas dizem que os produtos chineses são de qualidade inferior. Há coisas em que isso é verdade, outras em que é percepção. Portanto, é preciso ter atenção à qualidade do que se faz outsource e responsabilizar a operação através de Acordos de Nível de Serviço.

E então como se faz outsourcing e como se decide o que fazer? Pode fazer-se outsourcing de quase tudo, como já dissemos, mas o ideal será fazer outsourcing de algo que não seja nuclear na empresa. Ou seja, se a gestão de uma loja online for nuclear, outras coisas, como o inventário e o envio, não são nucleares. O outsourcing nem sempre implica que seja para outro país. Simplesmente significa atribuir um produto a um vendedor que consegue a melhor qualidade ao melhor preço. Devido à arbitrariedade dos preços, isto acaba por implicar outsourcing internacional. A menos que se tenha noção dos preços, não se quer arriscar com um vendedor novo. Alguém que já esteja a lidar com outsourcing há algum tempo será a opção preferível. É preciso compreender que o vendedor já tem uma curva de aprendizagem com o empresário.


Aprender como tudo se processa enquanto se trabalha pode ser muito difícil e levantar problemas com a qualidade.

A última coisa a ter em atenção são as questões legais do outsourcing. Será que há leis a que tem de prestar atenção? Um exemplo disto será o proprietário de uma loja online que transacciona medicamentos na Europa e que importa os produtos da China, onde não há leis restritivas em relação a patentes. O que vai acabar por acontecer é que vai estar a vender algo na Europa que viola as leis locais. Por isso o outsourcing é algo que deve ser bem estudado de todos os pontos de vista.

‹ voltar